quinta-feira, 21 de junho de 2018

O MOMENTO DO CHÁ



Resultado de imagem para tea
O tempo frio desta época do ano lembra o quanto é bom tomar um chá quente e relaxar. Algumas pessoas já tem o hábito de consumir chás digestivos, diuréticos ou calmantes, mas que tal utilizar também um chá que possa ir além e equilibrar seu corpo e suas emoções?

Você pode fazer o seu "momento do chá"- aquela hora do dia em que você para suas atividades diárias e dedica o momento a si mesmo(a), ao seu prazer, à reflexão, a colocar a ordem na casa interna e a renovar as energias físicas e mentais.

Na Medicina Tradicional Chinesa existe uma gama enorme de ervas que são utilizadas para o reequilíbrio energético, mas a flora brasileira é rica em opções e muitas ervas para chás são facilmente encontradas à venda ou podem até serem cultivadas em casa, o que traz um toque especial ao seu "momento do chá".

Você pode utilizar a Teoria dos Cinco Elementos da Medicina Tradicional Chinesa para decidir qual o melhor chá para o seu momento atual. Os cinco elementos são grupos constituídos de uma emoção, um clima, um órgão interno, um sabor, uma cor e várias outras características, através das quais é possivel se reconhecer onde está o seu desequilíbrio.


São eles: O elemento fogo, o elemento terra, o elemento metal, o elemento água e o elemento madeira.

A ansiedade e a euforia trazem desarmonias ao coração e intestino delgado, órgão e víscera do elemento fogo.

O excesso de preocupação, traz desarmonias ao baço/pâncreas e estômago e tem relação com o elemento terra.

A tristeza traz desarmonia aos pulmões e intestino grosso e tem relação com elemento metal.

O medo e o pavor trazem desarmonia aos rins e bexiga e tem relação com o elemento água.

A raiva e a irritação trazem desarmonia ao fígado e vesícula biliar e tem relação com o elemento madeira.

E quais seriam algumas das ervas que você poderia escolher?

Equilíbrio do FOGO - Alecrim, camomila, cravo, manjericão, frutas vermelhas
Equilíbrio da TERRA - Erva doce, pata de vaca, losna, manjericão, gengibre, casca de laranja
Equilíbrio do METAL - Eucalipto, sálvia, malva, canela, hortelã, capim cidreira, rosa mosqueta
Equilíbrio da ÁGUA - Hibisco, gergelim, jasmim, papoula, melissa
Equilíbrio da MADEIRA - Chá verde, boldo, hortelã, casca de limão, maçã, ameixa 

Dentre tantas opções, que tal iniciar hoje mesmo a prática do seu "momento do chá"? 

Apenas não se esqueça que, assim como na vida, nenhum excesso é positivo, portanto, consuma com consciência e sem exageros e vamos ao chá!

Dra. Marcia Rodrigues
Fisioterapeuta e Acupunturista



terça-feira, 19 de junho de 2018

A CIÊNCIA PODE ESTUDAR A ACUPUNTURA?






A medicina se beneficiou do estudo científico por muitos anos. É só olhar para o passado recente para ver como os estudos médicos são importantes em nossas vidas diárias: antibióticos, vacinas e vitaminas significam que não temos que viver com gangrena, poliomielite, escorbuto e outras doenças que encurtaram a vida de nossos ancestrais. Na Europa e nos EUA, a medicina desenvolveu-se paralelamente à ciência, então não é de surpreender que as duas disciplinas tenham influenciado uma à outra. Nem todas as tradições médicas, no entanto, tiveram uma relação tão próxima com a ciência. A fitoterapia, a homeopatia e medicina tradicional chinesa, entre outros, estão enraizados em culturas tradicionais e espiritualidade. A acupuntura é uma técnica da medicina tradicional chinesa que tem sido usada há mais de 2000 anos. Alguns afirmam que a eficácia da acupuntura já foi comprovada e outros a descrevem como placebo. A ciência pode nos ajudar a descobrir se a acupuntura funciona e, em caso afirmativo, como?

A acupuntura supostamente tem resultados dentro do mundo natural e, como a ciência lida com fenômenos naturais , ela pode estudar esses efeitos. Mais de 4.000 estudos científicos foram publicados sobre a eficácia da acupuntura para distúrbios que variam do cotovelo de tenista 1 ao transtorno de estresse pós-traumático. 2 Evidências sugerem que a acupuntura pode efetivamente tratar alguns sintomas como náusea e dor 3- embora geralmente não sejam as causas subjacentes desses sintomas. O alívio de sintomas como dor e náusea são resultados médicos valiosos por si mesmos. 


Resultados do estudo clínico que utilizou a acupuntura no tratamento do TEPT
Legenda: Estudo: Nível de Sintomas em estresse pós traumático / Comparativo de tratamentos utilizados em 3 grupos: Acupuntura; Terapia Cognitiva Comportamental; Nenhum tratamento / Verde escuro: Sintomas ao início do estudo; verde médio: Sintomas após o tratamento; verde claro: Sintomas após 3 meses do tratamento

Então, as investigações científicas podem nos dizer quando a acupuntura funciona, mas elas podem nos dizer como isso funciona? A resposta depende do tipo de explicações que estamos interessados ​​em investigar. De acordo com a medicina tradicional chinesa, a acupuntura é baseada na ideia de Qi (pronunciado e frequentemente escrito Chi ), que é visualizado como um tipo de energia vital que circula pelo corpo em canais especiais. Acredita-se que a acupuntura libere bloqueios nesses canais restaurando o fluxo de Qi através do corpo. De acordo com essa visão, Qi é uma força que não pode ser sentida ou observada - e porque a ciência se concentra em testar ideias sobre o mundo natural com evidências obtidas através de observação, esses aspectos da acupuntura não podem ser estudados pela ciência.

É claro que, quando a acupuntura foi desenvolvida pela primeira vez há mais de 2000 anos, entendíamos muito menos sobre nossos corpos e tínhamos menos ferramentas científicas à nossa disposição. Cientistas modernos estudando como a acupuntura funciona não a abordam como um processo místico. Em vez disso, eles fazem observações cuidadosas para aprender mais sobre a base natural e fisiológica da acupuntura. Esta pesquisa está em andamento, mas os resultados até agora sugerem que as endorfinas - proteínas naturalmente produzidas pelo organismo - desempenham algum papel no processo. As endorfinas têm uma estrutura química semelhante à da morfina ou do ópio e, como essas drogas, são conhecidas por bloquear a dor. A acupuntura pode estimular a produção desses e de outros compostos que afetam o modo como o cérebro percebe a dor.

Embora alguns aspectos da terapia com acupuntura (sua eficácia e mecanismo fisiológico) possam ser estudados pela ciência, isso não significa que a pesquisa científica apoie ou rejeite o uso da acupuntura como um tratamento médico em todos os aspectos. Pelo contrário, isso significa que a ciência pode nos dizer se, quando e como a acupuntura funciona. Até agora, as evidências confirmam sua eficácia para alguns problemas médicos - especialmente certos tipos de dor. Pesquisas sobre como a acupuntura alivia a dor ainda estão em seus estágios iniciais e ainda não responderam definitivamente à questão. O estudo da dor é complexo, em parte, porque deve contar com relatos das pessoas sobre sua experiência subjetiva . Estudos de acupuntura são ainda mais complicados pela dificuldade de encontrar um placebo apropriado. Apesar desses desafios, a pesquisa científica em andamento provavelmente lançará mais luz sobre a terapia com acupuntura.

Fonte:Understanding Science - https://undsci.berkeley.edu/


1 Tsui, P. e MCP Leung. 2002. Comparação da eficácia entre acupuntura manual e eletro-acupuntura em pacientes com cotovelo de tenista. Acupuntura e Electroterapêutica Research 27 (2): 107-117. 
2 Hollifield, M., N. Sinclair-Lian, TD Warner et ai. 2007. Acupuntura para transtorno de estresse pós-traumático - Um estudo piloto controlado randomizado. Journal of Nervous and Mental Disease 195 (6): 504-513. 
3 Acupuntura. NIH Consensus Statement Online, 1997, 3 a 5 de novembro, 15 (5): 1-34.

terça-feira, 15 de maio de 2018

Acupuntura fornece alívio real da dor, diz estudo



Em 2012 foi realizado um estudo de acupuntura - a análise mais rigorosa e detalhada do tratamento até o momento – que descobriu que esta terapia pode aliviar enxaquecas e artrite e outras formas de dor crônica.

A acupuntura pode ser útil no tratamento de enxaquecas, artrite e dor crônica.
As descobertas fornecem forte apoio científico para uma terapia milenar usada por cerca de três milhões de americanos a cada ano. Embora a acupuntura tenha sido estudada por décadas, o corpo da pesquisa médica vinha sendo desenvolvido, até certo ponto, por estudos pequenos e de baixa qualidade. Financiado pelos Institutos Nacionais de Saúde e realizado em cerca de meia década, esta pesquisa foi uma análise detalhada de pesquisas anteriores que envolveram dados sobre quase 18.000 pacientes.

Os pesquisadores, que publicaram seus resultados no Archives of Internal Medicine (Arquivos de Medicina Interna), descobriram que a acupuntura superou os tratamentos tradicionais quando usados ​​por pessoas que sofrem de osteoartrite, enxaquecas e dores crônicas nas costas, pescoço e ombros.

"Este tem sido um assunto controverso por um longo tempo", disse o Dr. Andrew J. Vickers, pesquisador do Method Sloan-Kettering Cancer Center, em Nova Iorque, e o principal autor do estudo. “Mas quando você tenta responder à pergunta da maneira certa, como nós, você obtém respostas muito claras”.

"Achamos que há provas firmes de apoio à acupuntura para o tratamento da dor crônica".

A acupuntura, que envolve a inserção de agulhas em vários pontos do corpo para estimular os chamados acupontos, está entre as formas mais praticadas de medicina complementar nos Estados Unidos e é oferecida por muitos hospitais. Mais comumente o tratamento é procurado por adultos que procuram alívio da dor crônica, embora também seja usado com frequência crescente em crianças. Segundo estimativas do governo americano, cerca de 150.000 crianças nos Estados Unidos foram submetidas à acupuntura em 2007.

Mas, apesar de toda a sua popularidade, questões sobre sua eficácia são comuns há muito tempo. São aqueles que juram experimentando verdadeiro alívio ou o bálsamo psicológico do efeito placebo?

O Dr. Vickers e uma equipe de cientistas de todo o mundo - Inglaterra, Alemanha, Suécia e outros lugares - buscaram uma resposta agrupando anos de dados. Em vez de calcular a média dos resultados ou conclusões de anos de estudos anteriores, uma forma comum, mas menos rigorosa de meta-análise, o Dr. Vickers e seus colegas selecionaram pela primeira vez 29 estudos randomizados de acupuntura que eles determinaram ser de alta qualidade. Em seguida, contataram os autores para obter seus dados brutos, que examinaram e reuniram para análise posterior. Isso os ajudou a corrigir problemas estatísticos e metodológicos com os estudos anteriores, permitindo-lhes chegar a conclusões mais precisas e confiáveis ​​sobre se a acupuntura realmente funciona.

Depois de todo o material reunido, o processo meticuloso foi feito pela equipe por cerca de seis anos. "Replicar praticamente todos os números relatados em dezenas de artigos não é uma tarefa fácil ou rápida", disse Vickers.

A meta-análise incluiu estudos que compararam a acupuntura com os cuidados habituais, como analgésicos de venda livre e outros medicamentos padrão. Também incluiu estudos que usaram tratamentos sem fundamentos na acupuntura, nos quais as agulhas foram inseridas apenas superficialmente, por exemplo, ou em que pacientes em grupos de controle foram tratados com agulhas que secretamente lhes eram retiradas.
Em última análise, o Dr. Vickers e seus colegas descobriram que, no final do tratamento, cerca de metade dos pacientes tratados com acupuntura verdadeira relataram melhorias, em comparação com cerca de 30% dos pacientes que não realizaram o tratamento.

“Havia 30 ou 40 pessoas de todo o mundo envolvidas nesta pesquisa e, como um todo, a sensação era de que esse era um efeito de dimensão clinicamente importante”, disse Vickers. Esse é especialmente o caso, ele acrescentou, dado que a acupuntura “é relativamente não-invasiva e relativamente segura”.
Vickers disse que os resultados do estudo sugerem que as pessoas submetidas ao tratamento estão recebendo mais do que apenas um impulso psicológico. "Eles não estão apenas obtendo algum efeito placebo", disse ele. "Não é algum tipo de ritual de cura estranho."

Em um editorial de acompanhamento, o Dr. Andrew L. Avins, pesquisador, que se concentra em dor musculoesquelética e medicina preventiva, escreveu que a relação entre o atendimento médico convencional “e o mundo da medicina complementar e alternativa permanece ambíguo”. Pelo menos no caso da acupuntura, ele escreveu, o novo estudo fornece “evidências sólidas” de que ela oferece “benefícios sobre o tratamento usual para pacientes com diversas fontes de dor crônica”.

Fonte: The New York Times em https://well.blogs.nytimes.com/

sexta-feira, 9 de março de 2018

A acupuntura pode tratar a depressão?

Resultado de imagem para acupuncture depression



Um número crescente de pessoas está buscando alternativas aos medicamentos antidepressivos, e novas pesquisas sugerem que a acupuntura poderia ser uma opção promissora. 

Um novo estudo descobriu que a prática tradicional chinesa é tão eficaz quanto os antidepressivos, e outro estudo descobriu que a acupuntura pode ajudar a tratar os efeitos colaterais dos medicamentos.

Na acupuntura, o terapeuta insere agulhas na pele em pontos do corpo que correspondem a órgãos específicos. Pesquisas ocidentais sugerem que as agulhas podem ativar analgésicos naturais no cérebro mas na medicina tradicional chinesa, acredita-se que o processo melhora o funcionamento corrigindo bloqueios de energia ou desequilíbrios nos órgãos.

Um estudo publicado no ano passado no Journal of Alternative and Complementary Medicine descobriu que a eletroacupuntura - na qual uma corrente elétrica leve é ​​transmitida através das agulhas - era tão eficaz quanto a fluoxetina (o nome genérico do Prozac) na redução dos sintomas de depressão. 
Durante seis semanas, os pacientes foram submetidos a eletroacupuntura cinco vezes por semana ou a uma dose diária padrão de fluoxetina. 

Os pesquisadores, a maioria dos quais especializados em medicina tradicional chinesa, avaliaram os sintomas dos participantes a cada duas semanas e monitoraram seus níveis de fator neurotrófico derivado da linhagem de células gliais (GDNF), uma proteína neuroprotetora. 

Estudos anteriores encontraram menores quantidades de GDNF em pacientes com transtorno depressivo maior, e em outros níveis de pesquisa da proteína aumentou após o tratamento com medicação antidepressiva.

Após seis semanas, ambos os grupos apresentaram uma melhora semelhante nos sintomas, e ambos os tratamentos restauraram o GDNF para uma concentração normal, mas a acupuntura começou a funcionar mais rápido, reduzindo os sintomas mais drasticamente nas semanas dois e quatro do que a droga. Entre os pacientes que melhoraram, uma porcentagem maior dos receptores de acupuntura mostrou "grande melhora".

Outro estudo sugere que a acupuntura pode ajudar em um aspecto particularmente difícil do tratamento da depressão: os efeitos colaterais sexuais de alguns medicamentos. Doze semanas de acupuntura ajudaram homens e mulheres com vários aspectos do funcionamento sexual, de acordo com o trabalho, também no Journal of Alternative and Complementary Medicine . Essas descobertas se somam a um corpo crescente de pesquisas sugerindo que a acupuntura pode ser útil para uma variedade de doenças, incluindo dor crônica, ansiedade e náusea. 


Fonte: Scientific American em https://www.scientificamerican.com/article/can-acupuncture-treat-depression/

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

A acupuntura pode ajudar você a engravidar

Resultado de imagem para acupuncture pregnancy




A acupuntura para infertilidade é provavelmente o tratamento complementar mais popular e comumente reconhecido para quem está tentando engravidar nos Estados Unidos. A mídia parece informar sobre pesquisas relacionadas à acupuntura e fertilidade a cada poucos meses, e mais e mais clínicas de fertilidade oferecem ou recomendam serviços de acupuntura junto com tratamentos convencionais de fertilidade.

A acupuntura é uma forma de medicina tradicional chinesa, às vezes abreviada como MTC. A acupuntura envolve a colocação de agulhas finas em pontos específicos do corpo. Esses pontos, de acordo com a tradição chinesa, percorrem linhas de energia ou meridianos.

Do ponto de vista da MTC, a ideia é que um desequilíbrio dessas energias no corpo pode levar à doença, incluindo a infertilidade. Corrigir o desequilíbrio, estimulando pontos específicos ao longo dos meridianos tem como consequência a melhoria geral da saúde e a redução do estresse.

O que é todo esse alarido?

Pesquisadores concordam que a acupuntura é geralmente inofensiva, e concordam que aumenta o relaxamento, reduz os níveis de estresse e aumenta a beta-endorfina - os hormônios que geram a sensação de bem estar que acabam com a dor.


Se não pode causar nenhum dano, por que investir tanto tempo e pesquisa na questão? Por que não enviar a todos para tratamento com acupuntura?


Bem, se a acupuntura realmente pode melhorar as taxas de gravidez, então o tratamento com acupuntura deve ser incluído como uma questão de protocolo no tratamento da infertilidade. Os médicos devem encorajar os pacientes a procurar um acupunturista para tratamentos, e as companhias de seguro também devem estar dispostas a pagar parte da conta (se cobrirem os tratamentos de fertilidade).

Embora não seja barata, a acupuntura é certamente mais barata do que muitos tratamentos de fertilidade. Se a acupuntura pode ajudar os casais a engravidar, gastando menos dinheiro, menos tempo e arriscando menos efeitos colaterais (supondo que eles precisem de menos ajuda da medicina convencional), então é claro que a acupuntura deve ser transferida do reino "alternativo" para o grupo de tratamentos que, em conjunto, irão alcançar o objetivo desejado.

Fonte:https://www.verywellfamily.com/

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Acupuntura e Terapia Floral na síndrome da Fibromialgia

Resultado de imagem para dores e terapia floral



Uma síndrome que existe há muito tempo, mas que só foi diagnosticada recentemente, o quadro típico de quem vive se queixando que dói tudo, mas dificilmente apresenta causas orgânicas para tanto sofrimento. Hoje, a medicina explica que pacientes fibromiálgicos desenvolvem uma espécie de defeito no mecanismo cerebral que produz a dor. Na verdade, seu cérebro não fabrica satisfatoriamente os analgésicos naturais contra esse mal, criando anticorpos à serotonina e à endorfina, neurotransmissores responsáveis pela inibição da dor. Com isso, o indivíduo passa a sentir qualquer tipo de estímulo doloroso, com muito mais intensidade e, ao longo do tempo, mesmo que não haja um estímulo doloroso concreto, a mensagem da dor fica registrada, difusa e intermitente, mudando de lugar, como um fantasma que belisca, cutuca, comprime e “fere” o tempo todo.

O que pode causar: insônia, fadiga crônica e depressão. Quando não diagnosticada, pode despertar o preconceito dos outros, que naturalmente se afastam, evitando ouvir as repetidas queixas e lamentações. Muitas mulheres fibromiálgicas são identificadas caricaturescamente como típicas marias-das-dores. 

Agravantes: o baixo nível de produção das substâncias analgésicas naturais que o corpo libera influi no estado psíquico e emocional da pessoa, que se torna mais deprimida. Por conta disso, a capacidade dela reagir à dor fica menor. Resultado: sofrimento constante e redobrado. Por necessidade de se martirizar, a maioria das pacientes prende-se a um círculo vicioso de agressão reprimida, que gera culpa que, por sua vez, desencadeia depressão e a tentativa de punir-se através do sofrimento. 

Venenos psíquicos: dificuldade de expressar os sentimentos e direcionar a vida, marcas de abuso ou violências sofridas na infância, expressão afetiva bloqueada, angústia existencial, agressividade contida, dificuldade de lidar com perdas significativas e com estados depressivos. 

Vítimas prediletas: mulheres entre 35 e 60 anos, extremamente sensíveis que, de alguma forma, estão elaborando, através da desesperança, angústia e sofrimento, um pedido inconsciente de ajuda e de amor. 

Emoções que curam: auto-estima, integridade, pureza, propósito, amor, fé e perdão.

Sugestões de tratamento: Tratamentos complementares como Acupuntura e Florais de Bach tem sido utilizados com êxito no alívio da síndrome fibromiálgica.

Para uma avaliação, entre em contato conosco.

E-mail: mmrfisioterapia@gmail.com
Tel.: (21) 2225-7756
Whatsapp: (21) 99981-5421

(Fonte: Revista Brasileira de Terapia Floral - Ano IV - no.23)

terça-feira, 13 de junho de 2017

Soluções naturais para prevenir resfriados e gripe

Quando se trata de frio e temporada de gripe, a prevenção é realmente a primeira linha de defesa. Para manter o sistema de defesa do seu corpo - seu sistema imunológico - em boas condições, siga nossas dicas de imunidade para ajudar seu corpo a lutar contra os agentes infecciosos que procuram um hospedeiro. Se você já está se sentindo doente, o segundo conjunto de dicas pode ajudar a aliviar seus sintomas e apoiar uma recuperação rápida.


Resultado de imagem para gripes e resfriados


Dicas de prevenção de gripe:


Seu sistema imunológico está no trabalho 24/7! A melhor abordagem para apoiar a função imunológica é um estilo de vida saudável que inclui gerenciamento de estresse, exercícios, alimentos saudáveis, suplementação nutricional e o uso de medicamentos à base de plantas. Diariamente, você pode fazer as seguintes coisas para ajudar seu sistema imunológico e mantê-lo saudável:

- Lave as mãos regularmente para ajudar a evitar a transferência de bactérias.
- Mantenha-se afastado de pessoas que espirram ou tossem. Evite apertar as mãos ou outro contato próximo com quem você conhece estar doente.
- Certifique-se de que sua casa e seu espaço de trabalho estejam bem ventilados. Mesmo em um dia frio, abra uma janela por alguns minutos para limpar o ar velho.
- Siga uma programação consistente de sono / vigília para que o sistema imunológico possa se reparar e se recuperar.
- Beba muita água e coma uma dieta equilibrada que inclui uma variedade de frutas e vegetais, que contêm antioxidantes que ajudam o organismo a neutralizar danos celulares.

Já está doente? Experimente estas dicas de cura:

- Descansar. Às vezes, o único meio de chamar a atenção do seu corpo é forçá-lo a descansar. Honre seu corpo e durma conforme necessário para promover a cura. Reduzir a atividade em casa e no trabalho o máximo possível.
- Aumente a ingestão de líquidos. Além de água, inclua sucos de vegetais diluídos, sopas e chás ervais e verdes.
- Coma refeições ligeiras e inclua mais sopa. Se você escolhe um caldo vegetariano ou um caldo mais saudável, as sopas para cura devem ser carregadas com uma variedade de ervas e vegetais.
- Gerencie o estresse. Mesmo apenas 10 minutos de meditação por dia tem efeitos positivos sobre o sistema imunológico e promove uma mente mais positiva.
- Ria - é realmente um bom remédio. Patch Adams estava em algo quando ele trouxe humor às camas de seus pacientes. Leia um livro engraçado. Assista a uma comédia stand-up. Compartilhe piadas com um amigo ou seus filhos. O riso diminui os hormônios do estresse e eleva seu humor - ambos são bons para a cura.


Suporte vitamínico, mineral e botânico para o sistema imunológico

Não há panacéia, mas um crescente conjunto de pesquisas mostrou que certas vitaminas, minerais e suplementos à base de plantas podem ajudar a prevenir / reduzir os sintomas de resfriados e gripe. Alguns que você deseja incluir estão listados abaixo. Fale com o seu médico, pois estas sugestões devem ser adaptadas às suas necessidades específicas e ao seu estado de saúde.


Referência